Barra Acontece – Ano 5 –As Noticias Fluindo das Correntezas dos Rios: Grande e Velho Chico

Coronel diz que fará requerimento à CCJ do Senado para que Moro e Dallagnol sejam convocandos e se expliquem

Publicado em: 10/6/2019

Foto: Divulgação

Senador Angelo Coronel

Diante da divulgação de reportagem do site Intercept Brasil que mostra colaboração entre o hoje ministro da Justiça Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal (MPF), que foram divulgadas neste domingo (9) e aponta colaboração entre eles na Ópera Lava Jato, o senador Angelo Coronel (PSD) enfatizou que fará um requerimento à Comissão da Constituição e Justiça (CCJ) do Senado convocando os envolvidos para que se expliquem. “O povo brasileiro há de se envergonhar com esses diálogos divulgados entre o ex-juiz Moro e membros do MPF. E não me venham com essa conversa de que trata-se de golpe na Lava Jato”, disparou. Para a deputada federal Lídice da Mata (PSB), agora o ministro Sérgio Moro prova “do mesmo veneno que distribuiu quando vazou ilegalmente a conversa de uma presidente da República”. Mensagens atribuídas ao ex-juiz Sergio Moro e ao procurador Dallagnol mostram que os dois trocavam colaborações quando integravam a força-tarefa da Operação Lava Jato. Moro, que hoje é ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro (PSL), foi o juiz responsável pela operação em Curitiba. Ele deixou a operação ao aceitar o convite para o cargo, em novembro. O site informou que obteve o material de uma fonte anônima, que pediu sigilo. O pacote inclui mensagens privadas e de grupos da força-tarefa no aplicativo Telegram de 2015 a 2018. Na troca de mensagens, membros da força-tarefa fazem referências a casos a exemplo do processo que culminou com a condenação do ex-presidente no caso do tríplex de Guarujá. Preso em decorrência da sentença de Moro, o petista foi impedido de concorrer à Presidência na eleição do ano passado. Segundo a reportagem, Moro sugeriu ao MPF trocar a ordem de fases da Lava Jato, cobrou a realização de novas operações, deu conselhos e pistas e antecipou ao menos uma decisão judicial. “Olá Diante dos últimos . desdobramentos talvez fosse o caso de inverter a ordem da duas planejada (sic)”, escreveu Moro a Dallagnol em fevereiro 2016, referindo-se a fases da investigação. As mensagens foram reproduzidas da forma como o site as publicou, sem correções ou revisão gramatical. Dallagnol disse que haveria problemas logísticos para acatar a sugestão. No dia seguinte, foi deflagrada a 23ª fase da Lava Jato, a Operação Acarajé.

  • Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *