Barra Acontece – Ano 5 –As Noticias Fluindo das Correntezas dos Rios: Grande e Velho Chico

Sargento da PM suspeito de assassinar adolescente a tiros é preso em São Paulo

Publicado em: 18/6/2020
Sargento da PM suspeito de assassinar adolescente a tiros é preso em São Paulo

Foto: Reprodução / TV Globo

A polícia de São Paulo prendeu, nesta quarta-feira, o sargento da PM Adriano Fernandes de Campos, suspeito da morte do adolescente Guilherme Silva Guedes, de 15 anos, que desapareceu na madrugada do último domingo (14) na Zona Sul de São Paulo.

O corpo do jovem foi encontrado em Diadema, no ABC Paulista, com tiros na cabeça e marcas de agressão.

De acordo com o G1, a prisão foi autorizada pela  Justiça paulista. O militar estava detido administrativamente na Corregedoria da Polícia Militar, no bairro da Luz, Centro de São Paulo.

Adriano Fernandes de Campos foi encaminhado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi ouvido sobre o caso.
A polícia ainda tenta identificar quem é o segundo homem que aparece em imagens feitas pela câmera de segurança de uma rua próxima da viela onde o jovem de 15 anos foi visto pela última vez. A suspeita é de que seja um outro policial militar.

A identificação do sargento foi divulgada pela Polícia Civil, que informou que já tinha suspeitas de que dois policias militares à paisana e de folga eram suspeitos de matar a tiros o jovem Guilherme Silva Guedes.

A identificação foi feita a partir da análise de câmeras de segurança que gravaram o adolescente pela última vez numa rua próxima à casa onde morava com a avó e tia maternas, em Americanópolis, na Zona Sul da capital.

Segundo o site, a principal linha de apuração do DHPP é a de que os dois PMs estavam de folga e fazendo ‘bico’ de segurança numa empresa privada quando suspeitaram que Guilherme pudesse estar envolvido num furto e o mataram.

O adolescente não tinha nenhuma passagem criminal anterior.

Junto ao corpo do adolescente foi encontrada uma tarjeta com a patente e o ‘nome de guerra’ de um policial militar. O DHPP ainda não confirmou se essa etiqueta pertence a um dos PMs investigados pelo assassinato.

  • Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *